segunda-feira, 4 de julho de 2011

Sistema Articular: Junturas

Olá pessoal !!! Atendendo um pedido mais que especial de um grande amigo, aqui vai um pequeno resumo de junturas tá? É pra você Reginaldo, Sinto falta da turma da Ed. Física...


Bem, vamos lá...

Sendo nosso corpo composto por vários ossos independentes, é necessário que haja uma estrutura para ligar um osso à outro. Essa é a função das junturas ou articulações.
Seria impossível executar um movimento se não existisse algo ligando um osso á outro. Movimentos simples como caminhar ou dançar seriam impossíveis de executar, pois desmontaríamos.


                                                      

Existem três tipos de articulações: Fibrosas; Cartilaginosas; e Sinoviais. Cada uma possui suas características e diferenças, anexando ossos nas diferentes partes do corpo.

Articulações Fibrosas

As articulações fibrosas são caracterizadas por possuir tecido conjuntivo fibroso como o "cimento" que vai unir um osso a outro. Elas ainda podem ser classificadas em três: Suturas, Sindesmose e Gonfose.

  • Articulações do tipo SUTURA: São articulações temporárias que desaparecem no decorrer do desenvolvimento humano. Todas elas se encontram no crânio. Dependendo de como se apresentam, podem ser classificadas como:
    • Planas: A articulação e reta ou levemente curva. Localizadas entre os ossos nasais (Art. Naso-nasal).
    • Denteadas ou Serreadas: A articulação se apresenta fazendo um zig-zag no crânio. Localizada entre os ossos parietais, famosa "moleira" aberta quando bebês (Art. Parieto-parietal).
    • Escamosa: Um osso se sobrepõe ao outro semelhante à uma escama. Localizada entre os ossos parietal e temporal (Art. Temporo-parietal).

  • Articulações do tipo SINDESMOSE: São articulações permanentes, caracterizadas como tecido de preenchimento. Quando um osso é muito afastado do outro é necessário que haja um tecido para preencher esse espaço. O tecido que executa essa função é conjuntivo fibroso, caracterizando essa articulação como Fibrosa do tipo sindesmose. Encontramos ela entre o rádio e a ulna (rádio-ulnar, distalmente) e entre a tíbia e a fíbula.
                                                        
  • Articulações do tipo GONFOSE: Articulação presente nos processos alveolares (Dento-alveolar), porém alguns autores, por não considerarem os dente, estruturas ósseas, acabam por incluir essa articulação nas sindesmoses.



Articulações Cartilaginosas

As articulações cartilaginosas, como próprio nome já diz, possuem como material interposto cartilagem. Porém, dependendo do tipo de cartilagem que compõe a articulação, elas poderão ser classificadas em Sínfises e Sincondroses.

Articulações do tipo SÍNFISE: As sínfises são compostas por cartilagens fibrosas (CUIDADO!!! ESTAMOS FALANDO AGORA DE CARTILAGEM) que são mais flexíveis. Uma bem famosa é a Sínfise Púbica, disposta entre os ossos púbicos e que dilata para que haja o nascimento de um bebê. Outro exemplo de sínfise são os discos intervertebrais.
         


Articulações do tipo SINCONDROSE: São compostas por cartilagem hialina, mais rígida que a fibrosa, porém ainda permitindo movimento. Um exemplo dela são as cartilagens costais (Esterno-costal).



Articulações Sinoviais

As articulações sinoviais são caracterizadas por permitirem grandes movimentos. Possuem como material interposto o líquido sinovial. Podem ser: Planas, Em sela, Esferoides, Gínglimo, Condilar, e Trocoide.

Articulações do tipo PLANA: São articulações em que as superfícies articulares são planas ou ligeiramente curvas, permitindo um deslisamento/movimento discreto. Exemplo dela são: a articulação sacro-ilíaca e as articulações entre os ossos do carpo e do tarso.



Articulações do tipo EM SELA: São articulações em que os ossos se encacham no formato concavo-convexo. Essa articulação encontramos entre o trapézio e o polegar.

Articulações do tipo ESFEROIDES: São articulações presentes entre ossos de "cabeça" arredondada, como úmero e fêmur, e suas respectivas cavidades. Exemplos são a glenoumeral e a coxo-femoral.






Articulações do tipo GÍNGLIMO: As articulações do tipo gínglimo funcionam como dobradiças, permitindo movimentos de abre e fecha. Temos elas no cotovelo (Art. úmero-ulnar) e entre as falanges (Art. interfalangianas).

Articulações do tipo TROCOIDE: As articulações do tipo trocoide são aquelas que a extremidade de um dos ossos possui forma cilíndrica, permitindo movimentos de rotação. São exemplos dessa articulação o rádio e a ulna, na sua parte proximal (Art. Rádio-ulnar proximalmente), e a articulação entre o atlas e o axis (Art. atlanto-axial), que permite o movimento de NÃO com a cabeça. 

Articulações do tipo CONDILAR: São articulações em que a extremidade de um dos ossos possui um côndilo (estrutura semelhante a uma "rodinha") que deslisa sobre uma cavidade. Encontramos ela no joelho (lembra dos côndilos do fêmur?), que é chamada de Fêmuro-tibial, temos entre o osso occipital e o atlas (Art. Atlanto-occipital), que permite o movimento de sim com a cabeça; e ainda temos a ATM (Art. temporo-mandibular), fazendo o movimento de abrir e fechar a boca.


Bem, pessoal, espero que tenha sido proveitoso. Dúvidas, entrem em contato com agente. Beijos.



By Alana Lima




5 comentários:

  1. Oi. boa tarde, me chamo Rute, e gostaria que voçê me respondesse algo: De acordo com a capacidade de realizar movimentos, quais os tipos de articulações? cite um exemplo de cada.

    ResponderExcluir
  2. Oii,....querida ótimo o teu post...só melhorar um pouco o português...apenas uma critica construtiva...ok...grande bjoo

    ps. Agente # gente
    Deslisamento ou deslisa # deslizamento

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom... me ajudou bastante, Obrigado!!!

    ResponderExcluir